Domingo é dia de pizza!

Nada mais paulistano do que sair pra comer (ou pedir em casa) uma pizza no domingo à noite. É o programa clássico das famílias paulistanas e em casa sempre fizemos muito isso. Mas e agora, com duas celíacas em casa, o que fazer?

É fato que a pizza é uma restrição importante na vida de um celíaco e sofri um pouco com isso no começo. Mas a boa notícia é que quem não pode consumir glúten começa a ter alternativas em São Paulo. Algumas pizzarias tem oferecido massas gluten free – a maioria foi incentivada (pra não dizer pressionada) por clientes que têm a restrição – e dá bem pra matar a vontade!

A Tal da Pizza, no Itaim (com unidades também em Alphaville e granja Viana), é uma delas. A casa prepara pizzas gluten free a base de amido de milho

A pizzaria mais saudável é a Itzza, está no Itaim e em Higienópolis e oferece massas fininhas de mandioca, brócolis, batata doce e couve-flor. Além de entradas e sobremesas sem glúten.

A pizzaria Di Fondi, na Vila Madalena, oferece opções sem glúten e também sem lactose. No caso das pizzas gluten free, a massa é feita com farinha italiana sem glúten da marca Schär.

A Vila Milagro, na Vila Mariana, detém o título de melhor pizza sem glúten de São Paulo na avaliação do site Trip Advisor. Na casa, as pizzas tradicionais vêm à mesa em formato retangular, com opções em oito e 12 pedaços. As pizzas gluten free são redondas, com seis pedaços, suficientes para duas pessoas.

Uma opção mais recente de pizza sem glúten é a Sala Vip, que tem a vantagem de possuir muitas unidades: são cinco com salão e outras sete apenas com delivery na capital, ABC e litoral.

Em geral, as pizzarias alertam que, apesar de prepararem as massas em área separada e com utensílios específicos, não dispõem de forno exclusivo para as pizzas gluten free, o que não elimina o risco de contaminação cruzada. No caso de ir à pizzaria, vale a pena ligar antes porque algumas recomendam reservar a opção especial sem glúten.

Célia

18/12/2019

*Estamos compartilhando nossas experiências mas não somos médicas ou nutricionistas. Consulte um especialista para uma orientação profissional.

Deixe uma resposta