Experiência em hotel all inclusive

Depois que a doença celíaca apareceu na minha vida, fiquei bastante relutante em viajar para um hotel all inclusive. Afinal, fiquei pensando se vale mesmo a pena pagar por um resort que tem toda a alimentação incluída e não poder consumir a maioria das coisas.

Mas a verdade é que não foi bem assim e que pode ser uma ótima opção dependendo do hotel mas pra isso é fundamental escolher bem e se planejar antes de ir.

Minha primeira experiência como celíaca em um hotel all inclusive foi no Tropical Princess Beach Resort & Spa, em Punta Cana, República Dominicana. Por se tratar de um destino que vive do turismo e que recebe visitantes de muitas regiões do mundo, achei estão bem preparados para lidar com hóspedes que têm alguma restrição alimentar.

Havia um salão principal de buffet, onde serviam todas as refeições. No café da manhã tinham algumas opções sem glúten, encontramos uma área de omeletes que são feitos na hora e um local com frutas diversas. No almoço, cada dia tinha uma comida típica de algum país diferente, mas sempre com opções universais também. Tinham vários restaurantes temáticos, voltados apenas para o jantar, espalhados pelo resort, um italiano, japonês, mexicano, entre outros. Mas para estes, era necessário fazer uma reserva com antecedência. Recomendamos ir nos orientais, porque tinham mais opções sem glúten do que os outros.

Para tornar a experiência mais tranquila e aproveitar de verdade, aí vão algumas dicas:

  • Antes de fazer a reserva, verifique o que o hotel oferece, quais os horários das refeições e se dispõe de opções especiais para celíacos. Pode ser bem específico e até pedir exemplos de cardápios dos restaurantes.
  • Ao fazer a reserva, mande e-mail novamente avisando sobre a restrição alimentar. E na chegada ao hotel, vale reforçar tudo novamente.
  • Esses resorts têm, normalmente, muitos restaurantes. Então, avise o maitre de cada um deles sobre a restrição e questione sobre as opções. Em alguns hotéis mais organizados, não é incomum que eles estejam avisados pela direção e atendam o celíaco com bastante atenção.
  • Por fim, mas não menos importante, leve sua reserva emergencial de comidinhas para matar a fome. É comum que esses hotéis fiquem afastados de centros urbanos e tenham pouca estrutura de supermercados e restaurantes por perto. No caso do meu hotel em Punta Cana, não havia nenhuma alternativa de lugar próximo para comer, só mesmo os restaurantes do hotel. No segundo dia, eu já conhecia os cardápios de cor!

Célia

15/03/2020

*Estamos compartilhando nossas experiências mas não somos médicas ou nutricionistas. Consulte um especialista para uma orientação profissional.

Deixe uma resposta