Viagem gastronômica (parte 2)

Nossa viagem gastronômica pelos países continua, com pratos maravilhosos e opções deliciosas sem glúten. Iniciamos nossa rota pelo Brasil, fomos para o Peru, Argentina e passamos pela cozinha mediterrânea.

São viagens por ingredientes e receitas para todos os gostos e com MUITAS opções SEM GLÚTEN. Mas, sempre muito cuidado com a manipulação dos pratos, o risco da contaminação cruzada e aqueles ingredientes ocultos, que somente ficamos sabendo que faz parte da receita quando questionamos o garçom ou até mesmo o cozinheiro.

Vamos continuar as dicas de pratos típicos ou aqueles mais conhecidos em alguns países que visitamos, mas sempre alertando para os perigos.

Nossa viagem segue deliciosa pelo México que têm pratos típicos que carregam a influência da sua cultura, que podem ser apreciados em restaurantes por todo o mundo. O país foi o primeiro a ter a gastronomia reconhecida como Patrimônio Imaterial da Humanidade pela Unesco, em 2010. Quem já comeu comida mexicana sabe que a pimenta têm uma forte presença, assim como guacamole, milho, tomate, carne e o feijão, ingredientes que a princípio não têm glúten. Porém, muito cuidado com os acompanhamentos. Os nachos, tacos, tortillas e burritos, pratos típicos do país, podem ser feitos de milho ou de trigo e é aí que mora o perigo, pois muitos têm glúten na composição ou na manipulação, dependendo também do tipo de recheio e molhos que podem acompanha-los. Já a tequila, bebida típica, pode ser um ótimo acompanhamento e não têm glúten, portanto existem várias opções para apreciar as delícias da culinária mexicana mas sempre tome cuidado com essa mistura forte de ingredientes, portanto atenção e moderação.

Indo para o outro lado do mundo, vamos visitar outra culinária que se espalhou rapidamente pelos continentes, a comida japonesa. No Brasil então, temos cidades como São Paulo que têm mais opções de restaurantes japoneses do que de churrascarias atualmente. Então, é uma delicia que podemos apreciar saborear em rodízios, combos, ou em lindos “barcos”. Os sushis, sashimis e temakis, são deliciosos, mas aproveite também o shimeji, sunomomo e o gengibre, além do wasabe. Mas muita atenção: fuja dos empanados, feitos com farinha de trigo e, portanto, contém glúten, ou seja, nada de hot holl ou tempurás. E muito cuidado com as marcas de shoyu, sempre verifique o rótulo pois vários contém glúten.

Para terminar nossa viagem, vamos fazer nossa última parada no Oriente Médio e saborear a famosa culinária Árabe. É no entanto uma comida muito baseada em alimentos com trigo e cevada, por isso, muita atenção na procura das opções sem glúten. As pastas são uma maravilhosa opção, seja a coalhada seca ou o hommus. Como opção de carne, temos a kafta e a alternativa vegetariana: o falafel. De acompanhamento, charuto de repolho ou arroz de lentilha. Não caia na tentação dos kibes e esfihas tracionais e dos beirutes, pois NÃO podemos comer, então, faça as escolha certas. No final, que tal tomar um chá ou um café árabe delicioso?

Espero que tenha gostado de nossa viagem. Voltaremos em breve com mais gastronomia pelo mundo e pelas delicias do nosso Brasil, sempre com opções de pratos sem glúten!

E você tem alguma receita predileta de algum país?
Compartilhe com a gente! 😉

Célia

01/12/2020

*Estamos compartilhando nossas experiências mas não somos médicas ou nutricionistas. Consulte um especialista para uma orientação profissional.

Deixe uma resposta