Barreira do idioma? Visitando a China

Os países orientais são destinos possíveis para celíacos? Há quem responda rápida e categoricamente que não, que é melhor não ousar tanto. Entendo a cautela, mas acredito que, depois de criada a internet e instituído o saudável hábito do compartilhamento de dicas e experiências, todo destino se tornou possível, até mesmo aqueles em que há a barreira do idioma. As palavras-chave, neste caso, são pesquisa e planejamento. Foi assim que, em 2016, a convite de um primo, comecei a planejar a minha ida à China. Foram 10 dias em Pequim. Foi uma viagem inesquecível em que pude realizar meu sonho de criança de conhecer a muralha da China. Foi a leitura de um livro na aula de geografia que me despertou a curiosidade por conhecer o outro lado do mundo. Antes de contar algumas histórias curiosas sobre a minha experiência alimentar durante essa viagem, tenho algumas dicas iniciais para compartilhar. Vamos a elas:

·       Tente focar seu roteiro nas grandes cidades. Pelo menos como base. Porque as cidades maiores, como Pequim e Xangai, são mais estruturadas, têm supermercados com maior diversidade de produtos, hotéis e restaurantes acostumados a receber gente do mundo todo, inclusive com suas alergias e restrições; Mas cuidado pois poucos falam inglês e quando falam a pronuncia é muito difícil de compreender.

·       Escolha um hotel que conte com cozinha no quarto.  E leve na mala alguns ingredientes básicos para se virar até se adaptar ou para garantir ao menos uma refeição diária totalmente segura e que te dê energia;

·       Converse na recepção do seu hotel e mapeie, já no primeiro dia, os locais próximos onde possa comprar frutas e verduras facilmente. Com uma cozinha e duas panelas, dá para se garantir com arroz, ovo e batata, caso fique com medo de arriscar nas carnes mais exóticas e de testar restaurantes. E frutas. Frutas sempre! Eu mesma me surpreendi com a variedade de frutas, nas diversas opções de lojinhas de bairro. Levava bananas na mochila durante todos os passeios, pois alguns pontos turísticos são afastados do centro e são poucas opções de locais para compra de “lanches” no trajeto.

·       Encontrar produtos GF no mercado é algo complicado na China. Porque, além da barreira da língua, o país não tem uma lei como a nossa que exige que o rótulo alerte sobre a presença do glúten em cada alimento. Também não há aquela organização com a qual já nos acostumamos por aqui, de que os supermercados costumam agrupar esses produtos em uma mesma seção.   

·       Não viaje sem o “Chinese Gluten Free Card”, um cartão que você apresentará em todos os restaurantes que for e que trará, no idioma local, as informações sobre TUDO o que você não pode comer e por qual motivo. Há uma série de exemplos na Internet que você pode pegar como base para preparar o seu próprio — e aí, claro, você precisará da ajuda de amigos que falem o idioma ou contratar profissionais como professores e tradutores para preparar o material como você deseja. Há alguns muito didáticos, que detalham todos os ingredientes e temperos que não podem ser ingeridos, o que irá acontecer com a sua saúde se você comer esses alimentos “proibidos” e apresentando exemplos do que você poderia comer (neste caso, pesquise sobre a gastronomia local para incluir opções factíveis). Em alguns deles, há também uma frase final explicando que a sinceridade é a melhor opção nestas horas e que, portanto, não há problema algum se te avisarem que não há nenhuma opção adequada para você naquela local. O cartão, claro, não é uma garantia, mas uma tentativa de comunicação;

·       Falando em restaurantes, não custa nada fazer uma pesquisa prévia sobre restaurantes que foram bem recomendados por celíacos. Já é um primeiro filtro! 

Uma outra boa opção é comida japonesa, ou seja, os peixes crus com arroz (não tem glúten), mas não “confie” no shoyu. Muitos deles têm glúten. Então, se for para temperar, leve sachês de shoyu GF na bolsa. Se a comida já vier com shoyu, questione!

É possível comer sem glúten em qualquer idioma. Acredite!!! 

Célia

07/08/2019

*Estamos compartilhando nossas experiências mas não somos médicas ou nutricionistas. Consulte um especialista para uma orientação profissional.

13 Respostas para “Barreira do idioma? Visitando a China”

  1. Arbisse says: Responder

    Cialis Online Legal buy stromectol pills online

  2. buy viagra cialis online You return this form to the front desk, and it is given to the doctor to review before meeting you

  3. The concurrent diseases were as follows hypertension in 36 men 28 priligy for pe

  4. cialis on line Eriacta Eriacta 100 mg is an effective drug for improving male sexual activity

  5. 5mg – 20mg per dose is cialis generic

  6. tadalafil cialis market exclusivity for generic versions of significant products; price erosion relating to our products, both from competing products and increased regulation; delays in launches of new products and our ability to achieve expected results from investments in our product pipeline; our ability to take advantage of high-value opportunities; the difficulty and expense of obtaining licenses to proprietary technologies; and the effectiveness of our patents and other measures to protect our intellectual property rights; our substantially increased indebtedness and significantly decreased cash on hand, which may limit our ability to incur additional indebtedness, engage in additional transactions or make new investments, and may result in a further downgrade of our credit ratings; and our inability to raise debt or borrow funds in amounts or on terms that are favorable to us; our business and operations in general, including failure to effectively execute the restructuring plan announced in December 2017; uncertainties related to, and failure to achieve, the potential benefits and success of our new senior management team and organizational structure; harm to our pipeline of future products due to the ongoing review of our R our ability to develop and commercialize additional pharmaceutical products; potential additional adverse consequences following our resolution with the U

  7. In my case, too well cialis reviews You are taking prescription and nonprescription medications, vitamins, and nutritional supplements you are taking or plan to take especially alpha blockers, antifungals, blood thinners, barbiturates, beta blockers, HIV protease inhibitors, other medications used for erectile dysfunction, high blood pressure medication, and medications for seizures

  8. nolvadex uk paypal While you may face some additional challenges on your journey, we are here to help guide you.

  9. However, and this is an important point, one large study, published in Obstetrics and Gynecology, reported that a small number of individual patients, who are difficult to accurately identify, did experience significant decreases in hormone concentrations from birth control pills when taking antibiotics and these individuals ovulated which birth control pills are supposed to suppress. doxycycline for kidney infection These outcomes seemed to reflect a trend already known in the hospital setting 14 both in pediatric and adult populations 41, confirming an abuse of these antibiotics.

  10. doxycycline 100 mg If the ulcer is more painful, supplement with your choice of oral pain relievers, an NSAID and or tramadol and or gabapentin.

Deixe uma resposta