A caminho de Bilbao

A tecnologia ajuda muito a termos flexibilidade na hora de reservar os hotéis/pousadas ao longo da viagem. Saímos do Brasil reservando as duas primeiras noites, principalmente porque é solicitado o endereço de hospedagem do destino no momento que passamos no aeroporto pela imigração/polícia federal. A partir do terceiro dia de viagem, faríamos as reservas de acordo com a programação e levando em conta o tempo que vamos ficar em cada cidade e as distancias percorridas. Não tivemos dificuldade de fazer as reservas pelo booking.com, mas fica a dica para reservar com antecedência quando a viagem é na alta estação, nos finais de semana e feriados. Como fomos na baixa temporada, a única preocupação foi a hospedagem no meio do feriado e tivemos que ser flexíveis e dormir uma noite numa cidade fora do nosso caminho, justamente para não pagar uma pequena fortuna na diária em Bilbao, nosso próximo destino, no meio do feriado.

Usamos o site do viamichelin.es, que é excelente e mostra as opções de hotéis e respectivos preços num raio de quilômetros do local de destino, e foi assim que saindo de San Sebastián, desviamos 150 km de nossa rota e nos hospedamos no Hostel Patrón na cidade de Castañares de Rioja. Fomos recebidos pelo dono do Hostel, o senhor Paco, e nos surpreendemos pela qualidade da hospedagem numa cidade que não chega a 400 habitantes. A área urbana da cidade praticamente se resume a rua em que nos hospedamos e pertinho fica o restaurante Casa Palomo, também do Paco, onde fomos muito bem atendidos. Imaginem uma cidade em que todos se conhecem e ficam `a noite conversando e bebendo/comendo ao ar livre. Foi um exemplo de como um imprevisto pode terminar em uma bela surpresa. Que noite inesquecível!!!

Logo cedo, já estávamos tomando café no Hostel (sim, hospedagem com café da manhã incluído, só não tinha pão sem glúten) para viajar com destino a Bilbao.

Chegamos cedo na cidade e fomos direto para o museu Guggenheim porque tínhamos comprado os tickets para entrada as 14h e não queríamos perder o horário. Projetado pelo arquiteto canadense naturalizado norte americano Frank Gehry, o museu é o ponto turístico mais visitado em Bilbao e realmente parada obrigatória. O formato curvilíneo de suas enormes paredes metálicas chamam a atenção de todos que caminham as margens do rio Nervión.

Ficamos hospedados no hotel Abba Euskalduna, muito bem localizado, próximo ao rio, com vista para o estádio do Atlético de Bilbao, bem perto das principais atrações da cidade e dos bares de Pintxo (petiscos).

Fomos caminhando pelo calçadão à beira do rio até o Casco Viejo, centro histórico da cidade, onde tivemos a oportunidade de provar um delicioso prato de Polvo, perto da Plaza Nueva. E como não poderia faltar, fomos depois de carro a um dos pontos mais altos da cidade, visitar o Mirador de Artxanda e ter uma bela vista panorâmica de Bilbao.

E nossa viagem continua, o próximo destino está bem pertinho e vamos contar pra vocês no próximo post. Já deixe aqui sua pergunta se você têm alguma curiosidade sobre a nossa viagem.

Célia

30/11/2021

*Estamos compartilhando nossas experiências mas não somos médicas ou nutricionistas. Consulte um especialista para uma orientação profissional.

Deixe uma resposta